27/05/2020 14:00 - EM
Olímpico
Equipe tricolor de nado artístico usa a criatividade para treinar
Aulas de dança, Zala e até mesmo intercâmbio com outros países são feitos para manter a forma física e técnica durante a quarentena


Longe da piscina devido à quarentena imposta pela pandemia do coronavírus, a equipe de nado artístico do Fluminense usa a criatividade para manter a forma física e técnica durante o isolamento social. Atletas e técnicas mantiveram a agenda cheia com exercícios diários passados pelo preparador físico do clube, aulas de dança, Zala e até mesmo intercâmbio virtual com outras equipes das Américas e com um clube de Portugal.

Seja Sócio e tenha vantagens na compra de ingressos, além de descontos em vários parceiros. Faça o Fluminense mais forte e escolha um plano agora!

"Estamos tentando nos reinventar. É complicado porque o nado artístico precisa da água, o corpo vai sentir muita falta da piscina, mas estamos fazendo tudo que podemos. Sempre nos reunimos por videoconferência para estudar adversários, seleções de outros países, para melhorar nossa criatividade e saber o que podemos criar para duetos e equipes. Estamos tentando tirar o máximo de proveito dos treinos durante essa pandemia", disse Twila Cremona, técnica da equipe tricolor e do dueto brasileiro que disputará vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Leia mais: Psicóloga ajuda atletas do Flu a manter o foco durante quarentena

Além dos exercícios diários praticados durante a quarentena, as atletas do Fluminense têm aulas de Zala (preparação física específica para trabalhar a musculatura, flexibilidade e postura) às terças e quintas-feiras, puxadas pela técnica tricolor Glaucia Soutinho, também da seleção brasileira, e as sextas-feiras são reservadas para um intercâmbio, apelidado de "Encontro das Américas". Cada semana um país diferente comanda o treino virtual com exercícios e danças locais. Todos os países do continente participam dessa troca esportiva e cultural.

"Diante dessa situação louca que estamos vivendo, encontramos um jeito bem legal de treinar. Estamos encarando essa quarentena da melhor maneira possível, treinando muito em casa, cuidando da alimentação e nos esforçando para manter a forma física o mais perto do ideal", explicou a atleta Anna Giulia Veloso.

Leia mais: Família Cremona: vida dedicada ao nado artístico do Fluminense

Aulas de dança ministradas por amigas também ajudam a quebrar a rotina e a trabalhar a capacidade cardiovascular da equipe. E a criatividade tricolor rendeu até um treino com uma equipe da Europa. Treinando no Clube Fluvial Portuense após se mudar para Portugal no fim do ano passado, a ex-atleta do Fluminense Anna Luiza Carvalho, de 14 anos, fez a ponte que rendeu um animado encontro virtual.

"Nós já havíamos feito um treinamento com uma equipe de Malta e tinha sido uma experiência muito legal. Então minha técnica aqui no Fluvial sugeriu que fizéssemos o mesmo com o Fluminense. As meninas aqui gostaram muito, acharam o treino bem 'fixe' (gíria portuguesa equivalente ao 'maneiro' do Rio de Janeiro)", afirmou Anna Luiza.

Texto: Comunicação/FFC
Foto: Reprodução da internet





Umbro original
Sika original
Tim original
Docerio original
Gatorade original
Brahma original
Zinzane original
Bioleve original
Puri original
Ambipar original
Bassan original
Flaviohermolin original
Rentv original
Nhj original
Nb original
Telecall original
Thermohuman original
Bodymetrix original
Vaccini original
Top on original
Parceiro cbc original
Singular original
Opusseg original
Universidade original
Coachid original
Mazars original
Ncores original