25/11/2021 14:13 - EM
Futebol
De volta ao meio, Calegari vira ‘leão’ e se emociona com torcida e o filho
Moleque de Xerém teve grande atuação e foi peça importante na vitória sobre o Inter


Na véspera da partida contra o Internacional, Calegari foi chamado à sala de Marcão no CT Carlos Castilho. Lá, foi questionado se estava preparado e ouviu que o treinador confiava nele. A “convocação” era para que o Moleque de Xerém voltasse à sua posição de origem e atuasse como volante para suprir a ausência de três desfalques importantes. Ele não titubeou e garantiu que estava preparado. E estava mesmo. Fundamental na vitória por 1 a 0 nesta quarta-feira (24/11), o jovem jogador viveu uma noite que lembrará para sempre, da comunhão com a torcida nas arquibancadas do Maracanã, onde seu nome ecoou, à comemoração com o filho Theo, de apenas um ano.

“Eu falei antes do jogo que a torcida era de extrema importância para a gente, independentemente de a gente estar vencendo, empatando ou perdendo. E a gente decidiu no campo jogar as camisas, o Fred falou com a gente e todo mundo concordou, porque o apoio da torcida foi sem igual, nos ajudou muito nessa vitória, como um 12º jogador dentro de campo. Um sentimento inexplicável. E também quando eu saí do jogo, a torcida cantando meu nome, eu sempre sonhei com isso. Agora é continuar trabalhando para ter isso mais vezes”, disse Calegari, sobre o apoio dos mais 18 mil tricolores que compareceram ao Maracanã:



Leia mais: Fluminense chega a cinco vitórias seguidas e é o terceiro melhor mandante do Brasileirão

“Desde o último jogo o apoio deles foi imensurável para a vitória. E dentro de campo a gente está focado no jogo, mas com o canto e o apoio deles o sague ferve, o coração ferve e com certeza dá um gás a mais para a gente correr atrás”.

Sem André, suspenso; Martinelli, lesionado; e Nonato, que não pode entrar em campo por força de contrato, Calegari precisou reviver os tempos em que atuava como volante. E mostrou toda sua polivalência.

“Foi uma responsabilidade muito grande substituir o André e o Martinelli, que vêm jogando muito bem. O Marcão me chamou ontem (terça), perguntou se eu estava pronto e disse que confiava em mim. Eu disse que sim, que já havia jogado de volante, conheço o espaço. Treinamos e eu consegui relembrar os movimentos. E graças a Deus deu tudo certo”, disse ele, antes de comentar sobre a exigência física do setor:



Leia mais: Fluminense vence o Inter no Maracanã e fica a um ponto do G-6

“No começo eu senti um pouco, foi como uma novidade fisicamente, pois no meio-campo há uma mais troca de direção e movimentos curtos, diferentemente da lateral, em que os movimentos são mais longos. Mas ao longo do jogo eu fui me adaptando, adquirindo ritmo e consegui chegar até os 45 fazendo o meu máximo para conseguirmos a vitória”.

Alguns minutos antes do apito final, Calegari foi substituído e se arrepiou com a arquibancada entoando seu nome a plenos pulmões. Depois, de quebra, teve a oportunidade de comemorar com seu filhinho Theo, que marcou presença no Maracanã.

“É muito legal e eu tenho isso todo dia em casa. É muito bom ter minha esposa e meu filho comigo. Quando entrei em campo e eles estavam sentados ali... A gente já vinha conversando, ela sempre diz que confia muito em mim e que estava comigo. Então busquei inspiração neles e depois do jogo poder abraçá-los é um sentimento sem igual”.

Seja Sócio e receba conteúdos exclusivos, além de ter descontos em vários parceiros. Faça o Fluminense mais forte e escolha um plano agora!



Confira outros trechos da entrevista

Jogadas com Samuel Xavier

"A gente treinou muito essa movimentação (com Samuel Xavier pelo lado direito) para criar os espaços. A gente sabia que o Inter tinha um pouco de problema naquela marcação quando tinha muito movimento, então treinamos e conseguimos colocar em prática".

Espírito guerreiro

"A gente entrou ligado no jogo e fez um gol logo no início. A partir dali foi no coração. Foi na determinação, na garra, no nosso escudo e no espírito guerreiro. Do começo até o final. E quando o juiz apita o fim do jogo é inexplicável, valeu a pena todo o nosso esforço. Mas não podemos esquecer que ainda temos mais três decisões que serão de extrema importância para nosso objetivo, que é a vaga na Libertadores".




Atacar de frente para a torcida

"No primeiro tempo a gente entra focado e está atacando para o outro lado. Mas no segundo tempo, quando todo mundo já está mais cansado, ali que a gente consegue ainda mais perceber que o apoio deles é de extrema importância. A gente consegue sentir mais e correr mais um pouco".

Próximos jogos

"Nos últimos jogos a gente vem vencendo dentro de casa e muito por conta do apoio da torcida. Mas a gente não vem tão bem assim fora de casa. Só que se é uma final para o Atlético-MG, também é uma final para a gente. A gente está buscando uma vaga direta na Libertadores e a gente vai entrar para ganhar, para buscar nossos pontos. E contra o Bahia também. Temos totais condições de sair com as vitórias para conquistarmos nosso objetivo".

Fotos: Lucas Merçon/FFC
Texto: Comunicação/FFC





Umbro orig original
Betano original
Gazin original
Tim original
Patrocinio.jpg original
Hotelnacional original
Brahma original
Zinzane original
Orthopride original
Samoc original
Avanutri original
Aguiabranca original
Puri original
Bluepex original
Rentv original
Nhj original
Nb original
Telecall original
Thermohuman original
Bodymetrix original
Vaccini original
Top on original
Singular original
Opusseg original
Coachid original
Donna original
Estacio original
Cbc original
Dmcremocoes original
Prosoccer original
Fourtrade original
Phnorte original
Playermaker original