Pioneiro no Rio, Moleques de Xerém participam do Projeto Cognicampo

Molecada de Xerém participou do Projeto Cognicampo

A base do Fluminense busca uma forma diferenciada de trabalhar os jovens jogadores em desenvolvimento. Um dos projetos de Xerém é formar um cidadão cada vez melhor para que ele se transforme em um melhor jogador. Neste ano, o Tricolor adotou para um grupo de jogadores o Projeto Cognicampo, que trabalha de uma forma lúdica as valências dos atletas e o trabalho coletivo, misturando atividades físicas com o tablado e movimentos circenses.

- Achei muito legal. Nos divertimos, nos entrosamos ainda mais e certamente vamos levar alguns ensinamentos para os jogos. É mais complicado do que parece, mas a gente percebe que estamos estimulando o nosso pensamento rápido, o nosso reflexo e a nossa movimentação. Eu achei muito importante, sou goleiro e preciso estar sempre atendo e tendo reações rápidas – contou o goleiro do Sub-20 do Fluminense, Leonardo Lang.

Para o Projeto Cognicampo, os Moleques de Xerém foram divididos em pequenos grupos

O Fluminense foi o primeiro clube no Rio a receber o projeto. O Cognicampo é uma metodologia de expansão cognitiva que converge elementos comuns ao teatro, à dança e ao circo na formação de jogadores de futebol. Através de práticas e exercícios lúdicos de alta demanda, o projeto estimula a atenção, a concentração, o poder de improvisação, o trabalho de grupo, a percepção sensorial e inúmeros outros fatores que determinantes na atuação de um atleta, assim como a aplicação de jogos e dinâmicas que promovem a ética, a sociabilização, a autoconfiança, o controle emocional, a autoestima entre outros aspectos fundamentais na formação de um cidadão.

Comunicação Institucional FFC
Fotos: Mailson Santana/Divulgação FFC