Fluminense e SOS Mata Atlântica anunciam parceria inovadora

Fluminense e SOS Mata Atlântica desenvolverão ações importantes

Uma parceria inovadora, revolucionária no futebol brasileiro e que reforça a luta do Fluminense pelas causas certas. O uniforme do Tricolor terá, até o fim do ano, a logomarca da fundação SOS Mata Atlântica. E a relação não para por aí. Em entrevista coletiva realizada na tarde desta sexta-feira, no Salão Nobre das Laranjeiras, com as presenças do presidente Peter Siemsen, Mario Mantovani, diretor da organização, Leonardo Lemos, vice de marketing do Flu ,e Luiz Carlos Rodrigues, diretor de desenvolvimento sustentável do clube, foi explicado que mais do que que visibilidade, o Fluminense e a SOS Mata Atlântica irão agir em conjunto pela preservação de um dos biomas mais importantes do mundo.

- O que o Fluminense está fazendo ainda é pouco diante do que é preciso. Mas é importante que marcas como a do Flu participem, mostrem engajamento e pensem no futuro. Há cerca de 40 anos o clube criou o patrocínio no Brasil com o plano Mobral, uma iniciativa importante naquele tempo. Em 1995 estampou o slogan “Ame o Rio” no uniforme. Agora o Fluminense abraça mais uma vez uma causa importante com esta parceria. É muito mais do que a exposição de uma marca. O Tricolor está verdadeiramente comprometido com a causa – ressaltou o presidente Peter Siemsen.

Foram as iniciativas nas causas de Desenvolvimento Sustentável – é o único clube do país a ter uma diretoria com este fim – que aproximaram o Flu da SOS Mata Atlântica. Além da logomarca, a parceria prevê ações integradas durante o Campeonato Brasileiro, com as presenças do Guerreirinho e do mascote da SOS Mata Atlântica. Ainda serão realizadas campanhas de conscientização sobre a importância da preservação da natureza.

- É muito importante que a SOS Mata Atlântica receba este apoio do Fluminense. Estamos numa luta pelo futuro, em busca de um desenvolvimento sustentável e precisamos recuperar este bioma que é tão fundamental para nós que é a Mata Atlântica. Não é preciso ser um “ecochato” ou um “biodesagradável” para defender esta causa. Ela é necessária – afirmou Mario Mantovani.

Marlon Santos, Nogueira e Daniel, jogadores do time profissional e que passaram pela base tricolor aprenderam muito em Xerém sobre cidadania, direitos e deveres. Porta-voz do grupo, camisa 4 falou sobre a importância da causa:

- Temos de cuidar do que está ao nosso redor para o ar que respiramos não fique mais comprometido. Precisamos ser conscientes.

Desde 2011, o Fluminense é preocupado com o desenvolvimento sustentável. Em Xerém, já foram plantadas mais de 3.600 mudas nativas da Mata Atlântica. Além disso, 100% dos resíduos orgânicos produzidos são transformados em adubo. O Tricolor ainda combate o desperdício, orienta os jovens com aulas de cidadania e agora terá a ajuda da SOS Mata Atlântica também com palestras e ensinamentos importantes.

- O Fluminense se preocupa com a natureza, com o futuro do planeta. O nosso futuro está atrelado ao futuro do planeta. Fechar um convênio com a SOS traz uma identidade muito clara. É o primeiro clube que está fazendo no mundo um restauro de um bioma – afirmou Luiz Carlos Rodrigues, que foi complementado pelo vice-presidente de marketing, Leonardo Lemos:

- O Fluminense é marcado pelo pioneirismo. Nelson Rodrigues dizia que o clube tem a vocação para a eternidade. E para que isso aconteça, o mundo precisa ser infinito. Agora o Flu abraça a Mata Atlântica e ajuda o mundo a alcançar esta eternidade.

Floresta Fluminense

A ideia mais ousada da parceria entre Fluminense e SOS Mata Atlântica é a de desenvolver via plataforma crossfunding (financiamento coletivo entre empresas e pessoas físicas) a restauração florestal de uma área de aproximadamente 10 hectares, que envolve o plantio de 25 mil mudas nativas. A região ainda será escolhida e o Fluminense terá o direito de colocar o nome no espaço e ter a própria floresta. Será o primeiro clube do Brasil a ter Naming Rights sobre uma área de restauro florestal com todo o suporte da SOS Mata Atlântica para o desenvolvimento do projeto.

A Mata Atlântica

A Mata Atlântica é um dos biomas mais desmatados do Brasil. Uma das áreas mais ricas em biodiversidade do mundo e ameaçados do planeta. Das 633 espécies animais ameaçadas de extinção no Brasil, 383 vivem na área. Acesse o site da SOS Mata Atlântica clicando aqui e saiba mais sobre como você pode fazer a diferença e ajudar.

Comunicação Institucional FFC
Foto: Mailson Santana / Divulgação FFC