Nova Sala de Troféus é inaugurada com a entrega da Taça Olímpica

Um espaço que conta a história tricolor e se confunde com a trajetória do esporte brasileiro. Assim pode ser definida a nova Sala de Troféus do Fluminense, feita em parceria com a Brahma e inaugurada nesta terça-feira, 3, pelo presidente do clube Peter Siemsen, pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, e pelo vice-presidente de Vendas da Ambev, Ricardo Tadeu. Além de vídeos e recursos interativos, que contam a história do clube, estão expostos os principais troféus da vitoriosa história tricolor. O último a figurar na sala foi a réplica da Taça Olímpica, entregue pelo presidente do COB a Peter Siemsen durante a solenidade e que ficará exposta na nova sala.

– Eu agradeço ao presidente Nuzman, em nome de todos os sócios, atletas e torcedores, a entrega da Taça Olímpica. Ela dignifica a história e a tradição do clube. Também agradeço toda a parceria da Brahma. A nova Sala de Troféus é importante para quem viveu a história tricolor e também para as novas gerações. Os nossos filhos e netos vão poder visitar a sede e conhecer a história do Fluminense. Esse resgaste tem a ver com o crescimento do Fluminense. Estamos recuperando espaço nas conquistas nos últimos anos.  Nosso papel além de vencer em campo é resgatar a história e o respeito colocando o Tricolor em seu devido lugar – disse Peter Siemsen.

Segundo Nuzman, a ideia de solicitar ao Comitê Olímpico Internacional (COI) a Taça Olímpica partiu do presidente da Cedae, e torcedor tricolor, Wagner Victer, que lhe telefonou e disse que o clube não tinha a réplica.

– Eu fiz o pedido ao COI e agora temos a taça aqui, para ser vista e conhecida pelos torcedores. O Fluminense é o único clube no Brasil a conquistá-la. Eu fico muito feliz de, como tricolor, ter tido a oportunidade de trazer a Taça Olímpica para a Sala de Troféus. E também fico feliz do Peter ser o presidente neste momento em que o clube resgata a sua história.

A Taça Olímpica foi entregue ao clube em 1949, pelos serviços prestados pelo Fluminense ao esporte. A taça original permaneceu nas Laranjeiras durante aquele ano e retornou para a sede do COI, na Suíça, onde está exposta no Museu Olímpico. Com o pedido do COB atendido, os torcedores tricolores poderão ver de perto uma comenda que engrandece a história tricolor.

– Esta taça remonta à nossa tradição e fica para a nossa história, para que as futuras gerações conheçam a história do Fluminense. A Sala de Troféus está muito bonita e o clube está de parabéns – disse Victer.

Para o vice-presidente de vendas da Ambev, Ricardo Tadeu, o espaço é mais um resultado da parceria da empresa com o clube.

– É um prazer muito grande ter ajudado o clube neste projeto, que representa a história do Fluminense e do esporte brasileiro, porque as duas histórias se confundem.

Emoção e história

O espaço, que será aberto para a visitação do público a partir desta quarta-feira, 4, ficou maior com a incorporação da antiga biblioteca e de um almoxarifado. Partes importantes dos elementos arquitetônicos do prédio, como o vitral histórico e o piso original projetado pelo arquiteto Gustavo Pujol, de cerâmica colorida, foram restaurados. Entre os destaques da exposição permanente, uma linha do tempo interativa, movimentada graças a um sensor de presença, e um espelho virtual que exibe as principais camisas do Fluminense ao longo dos anos. As taças, no coração da Sala, agora são exibidas com fotos e a memória dos jogos e das competições em que foram conquistadas.

– Foi um projeto feito com muito amor e carinho. Esperamos que a Sala de Troféus eleve a autoestima do torcedor e seja um motivo de orgulho. Queremos que os torcedores visitem a sala, fiquem felizes e se emocionem com o que virem aqui – disse o gerente do Flu-Memória, João Boltshauser, coordenador-geral do projeto.

Quem visita, se emociona. O atacante Fred, que está destacado na galeria com os principais jogadores da história tricolor, se disse lisonjeado com a homenagem e ficou impressionado com o espaço.

– A Sala de Troféus ficou maravilhosa. É de emocionar mesmo, conta toda a história do clube. Fico lisonjeado de estar presente. E vamos em busca da Libertadores do próximo ano, para ter mais história – disse o atacante.

A Sala de Troféus será aberta à visitação do público a partir do dia 4 de julho. O espaço funcionará de segunda-feira a domingo, com exceção das terças-feiras, quando estará fechado. O horário de funcionamento vai das 10h às 16h aos domingos e das 10h às 18h nos demais dias.

A bilheteria funcionará na entrada principal do clube, na Rua Álvaro Chaves, até as 15h, aos domingos, e até as 17h, nos demais dias. O valor para a visitação é de R$ 15 para quem não é sócio e tem mais de 12 anos. Sócios não pagam o ingresso e devem se identificar na entrada da Sala de Troféus, com a carteirinha de associado.

Para grupos acima de 20 pessoas, as visitas devem ser agendadas pelo e-mail vouveroflu@futeboltour.com.br.

Veja no álbum abaixo como é a nova Sala de Troféus do Fluminense.

 Texto: Leonardo Zanelli (Assessoria de Imprensa – FFC)

 Fotos: Nelson Perez (Assessoria de Imprensa – FFC)