Como o executivo Zeca Oliveira encara o desafio dos Jogos de 2016

Mesmo ainda tomando conhecimento da situação do departamento, o novo vice-presidente de Esportes Olímpicos tem uma ideia muito clara de como tornar atrativas modalidades que não têm a exposição do futebol. Criatividade é a palavra da vez no dicionário do executivo Zeca Oliveira, que assume o cargo com o desafio de fazer do clube uma potência olímpica em 2016, ano dos Jogos do Rio. Patrocinador do polo aquático tricolor – por meio do Grupo BNY Mellon, do qual é presidente no Brasil –, Zeca diz que, com criatividade, os esportes olímpicos podem angariar novos patrocínios e se aproveitar 100% das leis de incentivo.

– Temos que ser criativos. O vôlei há 30 anos não tinha atratividade e hoje é uma potência no Brasil – lembra.

Os esportes olímpicos também precisam se profissionalizar, como o futebol?

Zeca Oliveira – Definitivamente. Precisamos buscar a autossuficiência, conseguir nos manter por meio de patrocínios e das leis de incentivo.

Como pretende utilizar a sua experiência no clube? A sua origem na área econômica pode ajudar o Flu a firmar novas parcerias?

Zeca Oliveira – Tenho uma história de 25 anos no mercado financeiro. Trabalhei em duas empresas praticamente começando do zero. Não é que o projeto olímpico do Fluminense precise ser recomeçado do zero, mas a minha experiência em construir pode ajudar bastante.

Como despertar o interesse de patrocinadores para outras modalidades?

Zeca Oliveira – Precisamos viabilizar um plano de marketing que consiga criar uma exposição para o esporte olímpico tricolor, mostrar aos patrocinadores como podemos expor a marca deles por meio de algum esporte. Temos que ser criativos. O vôlei há 30anos não tinha atratividade e hoje é uma potência no Brasil.

E como conciliar esportes olímpicos e clube social?

Zeca Oliveira – Com criatividade e dedicação também. Não vejo motivo algum para não termos um clube social e olímpico fortes. Em São Paulo, há exemplos claros disso. O Pinheiros tem um clube social espetacular e um esporte olímpico fortíssimo.

Qual a importância das mudanças neste momento?

Zeca Oliveira – Temos uma excepcional oportunidade de conseguir visibilidade para os esportes olímpicos. Se perdermos, não teremos outra tão cedo. É o melhor momento para angariar patrocínios e se aproveitar das leis de incentivo. 2016 já está aí! E o Fluminense precisa de um projeto forte e ágil para captar o máximo o quanto antes, porque o projeto vai precisar de um tempo para maturar. Queremos que o Fluminense seja uma potência no ano do Rio Olímpico. Acredito muito nos esportes olímpicos.