Clube inicia nesta segunda o reflorestamento do CT Vale das Laranjeiras

O Fluminense deu nesta segunda-feira, dia 9, em Xerém, o pontapé inicial para o reflorestamento do CT Vale das Laranjeiras, que faz parte do projeto Fluminense Joga Limpo, do Departamento de Desenvolvimento Sustentável do clube. Sempre preocupado com o meio-ambiente e com um futuro melhor para o mundo, o Tricolor, em parceria com a Cedae, começou a abrir as covas onde serão plantadas as mudas e sementes de árvores da Mata Atlântica.

A previsão para todo o plantio é de três semanas, caso o clima seja favorável, conforme explicou o diretor do departamento de Desenvolvimento Sustentável do Fluminense, Luiz Carlos Rodrigues, que acompanha de perto todo o processo de replantio da Mata Atlântica.

- É um sonho poder fazer a relação do esporte com a natureza. Nossos atletas precisam de ar puro, da água, dos frutos que a Mata Atlântica nos fornece. Estamos iniciando hoje este processo, com o coveamento do terreno. Depois vem a fase de adubação e o plantio. Nossa ideia é plantar árvores da Mata Atlântica porque é muito importante para todos. Os atletas poderão, no futuro, colher frutos como goiaba, jenipapo, araçá e muitos outros, desfrutar de um ar mais puro e de uma água mais limpa. Com as árvores também virão pássaros, que abandonaram a região por falta de local como estes que estamos trazendo. Para o plantio, temos uma parceira com a Cedae e a Fundação Santa Cabrini, utilizando mão de obra de presos do regime semiaberto trazendo a ressocialização, algo importante para o clube – contou Luiz Carlos Rodrigues.

A conservação e a restauração da Mata Atlântica reduzem os impactos da mudança climática e beneficiam comunidades humanas, assim como plantas e animais. Além de que florestas saudáveis agem como esponjas gigantes, que sugam a água das chuvas e a libera, gradativamente, nos rios. Elas também protegem os cursos d’água e mantêm sua qualidade ao reduzir sedimentos e filtrar poluentes.

A Mata Atlântica é um dos cinco “hotspots” de biodiversidade mais importantes da Terra e a maior Reserva da Biosfera designada pela Unesco. Assim, a Mata Atlântica representa uma das regiões prioritárias para conservação em nível mundial. Séculos atrás, a floresta se estendia por mais de 130 milhões de hectares ao longo da costa leste brasileira, abrangendo trechos do norte da Argentina e leste do Paraguai. Hoje, no Brasil, restam apenas 7% em bom estado de conservação, distribuído em fragmentos isolados acima de 1.000 hectares cada. Os últimos remanescentes desta exuberante floresta abrigam uma riqueza de diversidade biológica comparável à célebre Amazônia. Nos locais onde ela sobrevive, a Mata apresenta uma das paisagens mais espetaculares da Terra, como a deslumbrante costa do Rio de Janeiro.

Não à toa o Fluminense é o único clube grande do Rio que tem o verde entre as suas cores. O Tricolor quer um Brasil melhor para as gerações futuras, e cuidar do meio-ambiente é uma das melhores formas de garantir uma sociedade melhor para todos.

Comunicação Institucional FFC
Foto: Bruno Haddad-Divulgação FFC