Mesmo vivendo na Espanha, Pintinho mantém laços com seu clube

Boa parte da história vitoriosa do Fluminense é mérito dos jogadores que passaram pelas Laranjeiras. O reconhecimento é das duas partes. Na Sala de Troféus, uma galeria de fotos conta a história de alguns guerreiros marcantes ao longo dos 111 anos do clube. Entre eles, está Carlos Alberto Gomes, mais conhecido como Pintinho. Mesmo morando em Sevilla, na Espanha, o craque meio-campista visita sua segunda casa sempre que está no Brasil.

Há um ano e meio, Pintinho não visitava o Fluminense. Nesta terça-feira, 2, ele veio ao clube e pôde observar uma nova estrutura na sede social e ver o seu nome consagrado em alguns cantos da nova Sala de Troféus.

– Achei tudo maravilhoso e esse espaço é importante para mim, pois demonstra a importância que nós temos dentro da história do clube e que fizemos parte disso. Todo o esforço que fizemos durante anos é recompensado em momentos como esse. É uma satisfação enorme estar entre os ídolos do Fluminense, o clube para qual eu torço desde criança – contou o ex-jogador.

Além de conquistar os títulos Estaduais em 1973, 1975, entre outros, Pintinho estava no elenco tricolor que venceu o XXXII Troféu Teresa Herrera, tradicional competição espanhola, em 1977.

– Tenho um carinho enorme por esse clube. O Abel foi o meu companheiro e se tem uma coisa que eu desejo para o nosso futebol é que ele se mantenha como esta e que ganhe muitos títulos sempre – revelou Carlos Alberto Gomes, o Pintinho, que atuou pelo elenco profissional do Fluminense entre 1972 e 1979. O jogador chegou as Laranjeiras com apenas 12 anos.

Comunicação Institucional FFC
Foto: Bruno Haddad / Divulgação FFC